A acupuntura é uma técnica terapêutica que consiste na aplicação de agulhas muito finas em vários locais do corpo. É uma técnica milenar desenvolvida na China há mais de 3000 anos. Foi, desde cedo, um alvo de interesse para o ocidente, mas só começou a ganhar credibilidade nos últimos 30 anos, graças ao número crescente de pesquisas e trabalhos científicos sobre os seus mecanismos de ação. Contrariamente à acupuntura tradicional, que visa a avaliação e opera o fluxo de diferentes tipos de energia vital, a abordagem do doente na acupuntura médica orienta-se por uma perspetiva científica, baseando-se em conceitos de anatomia e fisiologia. Está aprovada pela Organização Mundial de Saúde para tratamento de várias doenças. É recomendada como um tratamento complementar para a dor por várias sociedades científicas nacionais e internacionais.

Em que situações pode ser utilizada a acupuntura

Esta técnica tem uma eficácia conhecida nas seguintes patologias:

  • Cefaleias, enxaquecas
  • Dores na coluna: cervicalgia, dorsalgia, lombalgia, lombociatalgia
  • Dores nos ombros, cotovelos, ancas, joelhos, calcanhares
  • Tendinites, tendinopatias, contraturas musculares, artroses, sequelas de traumatismo e/ou entorse, estado pós-cirúrgico, síndrome do túnel cárpico
  • Alívio das dores em pacientes com fibromialgia e artrite

Existem outras situações em que a acupuntura tem demonstrado bons resultados, como por exemplo, nos problemas funcionais dos intestinos ou da bexiga (cólon irritável, cistite intersticial, incontinência), nas dores menstruais (dismenorreia), nos sintomas da menopausa e em algumas formas de rinite e sinusite.

Tem sido utilizada também na desabituação tabágica por melhorar os sintomas da abstinência da nicotina.

É ainda eficaz no tratamento das náuseas e vómitos associados à quimioterapia e no pós-operatório.

No entanto, antes de iniciar um tratamento de acupuntura é necessário excluir qualquer doença grave ou potencialmente grave que necessite de outras formas de tratamento. Nessas situações poderá ser utilizada como tratamento complementar mas não como alternativa.