Psicologia Educacional

 

A psicologia educacional foca-se nos processos de aprendizagem e nas dificuldades a eles inerentes. Promove a qualidade do desenvolvimento humano através de técnicas de intervenção, que contribuem para a superação de dificuldades de aprendizagem e do insucesso escolar. Esta terapia está indicada para todas as crianças, adolescentes e adultos a quem sejam identificados sinais de alerta durante os processos de aprendizagem.

Há indicadores que não devem ser ignorados… Por exemplo, as dificuldades de leitura, de escrita, ao nível do vocabulário, do raciocínio lógico-matemático e da atenção/concentração podem ser sinais de alertas de dificuldades de aprendizagem específicas.

Uma intervenção precoce é fundamental para aumentar o potencial de desenvolvimento cognitivo do individuo, sobretudo quando se trata de crianças até à idade escolar e em risco de atraso de desenvolvimento.

São também diagnosticadas eventuais dificuldades de aprendizagem específicas como a dislexia, a disortografia, a discalculia e a disgrafia, assim como possíveis perturbações do desenvolvimento, como a hiperatividade e o défice de atenção.

 

Áreas de Intervenção: 

  • Dificuldades de aprendizagem;
  • Perturbações da atenção;
  • Orientação escolar e profissional;
  • Métodos e técnicas de estudo;
  • Ansiedade face à escola;
  • Problemáticas comportamentais e emocionais;
  • Atraso e desvio no desenvolvimento.

Psicologia Clínica

 

À semelhança do corpo, a mente também precisa, por vezes, de um “fisioterapeuta”, que diagnostique um problema e estabeleça técnicas para um modo de vida mais saudável.

Numa sociedade mais exigente, com novas formas de comunicação, em que a relação com o outro e a afirmação pessoal são essenciais na vida privada e mais ainda no mundo profissional, a psicologia clínica é um importante instrumento para potenciar as capacidades individuais.

O psicólogo clínico irá apoiar o desenvolvimento de competências que irão contribuir para melhorar as relações interpessoais, a resolução de conflitos e as dificuldades psicológicas de adaptação a novos ambientes, recorrendo sempre a estratégias que respeitam a singularidade de cada criança e adulto com quem se trabalha.

Por vezes, são pequenas mudanças que contribuem para grandes vitórias melhorando o bem-estar de uma criança ou de um adulto, conseguindo uma resposta que surge de dentro para fora, mas que nem sempre é possível encontrar sem um apoio especializado.

 

Áreas de Intervenção: 

  • problemas sociais e emocionais,
  • fobias e medos
  • luto
  • divórcio
  • sexualidade
  • distúrbios alimentares
  • perturbações de personalidade
  • dificuldades de relacionamento interpessoal
  • agressividade
  • ansiedade
  • depressão
  • outras desordens relacionadas com o desenvolvimento social e afetivo.